Tem um e-book grátis que vai falar tudinho pra você sobre os nossos cães vira-latinhas. Link neste blog.

Escolha seu idioma - Select your language - Elija su lengua

Escolha seu idioma - Select your language - Elija su lengua

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Pets: a hora da despedida também é uma questão ambiental

Para aqueles que têm o animal de estimação como um membro da família, lidar com a morte dele pode desencadear uma série de problemas que ultrapassam os traumas psicológicos. A situação também pode gerar graves questões ambientais e de saúde pública. O que fazer com o corpo do animal? A questão também foi levantada por um leitor deste blog, que se apresentou como um aluno de gestão ambiental. Ele (e nós também!) queria saber o que é feito com os cadáveres dos animais eutanasiados em clínicas veterinárias. Então, ampliamos o questionamento e saímos em busca das respostas.


Cemitério dos Animais em Campinas, SP

O simples descarte em aterros sanitários ou lixões pode trazer sérios prejuízos ao meio ambiente. Sabemos, contudo, que a prática deve ser comum Brasil afora, sobretudo, nas cidades pequenas. Aliás, quando se fala em interior do país, em muitos municípios a desova dos animais mortos deve ser feita em terrenos baldios ou áreas de mata fechada.
Nosso ponto de partida foi o veterinário João Carlos Toledo Jr., presidente da Associação Nacional de Clínicas Veterinárias de Pequenos Animais em Minas Gerais (Anclivepa-MG). Segundo ele, as clínicas veterinárias na capital mineira têm um convênio com a Superintendência de Limpeza Urbana de Belo Horizonte (SLU) para que os corpos de animais sejam recolhidos e recebam o mesmo tratamento do lixo hospitalar.
Questionada sobre o destino dos animais mortos e do lixo hospitalar de BH, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) respondeu em nota que a SLU encaminha todo o lixo hospitalar recolhido na cidade ao aterro sanitário de Belo Horizonte, que fica na altura do Km 531, da Rodovia BR-040, no bairro Jardim Filadélfia. Lá “são aterrados em uma célula especial preparada para receber adequadamente o lixo hospitalar”.
Ainda de acordo com a SMS, em BH, “os animais eutanasiados no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da capital, são ensacados, colocados em caçambas e encaminhados ao aterro sanitário municipal. No local, existe uma cova asséptica preparada para receber os animais”. Quanto aos demais animais mortos, recolhidos pela SLU, são encaminhados à Central de Tratamento de Resíduos de Macaúbas, localizado na Rodovia MG-05, Km8, bairro General Carneiro, em Sabará, na região metropolitana. Nas demais capitais brasileiras e, em cidades de maior porte, a situação deve ser muito semelhante ao que acontece em Belo Horizonte.

Alternativas para aplacar o luto: despedida a um cãopanheiro

Bom, questões ambientais à parte, no que diz respeito ao aspecto psicológico, para aqueles que mantêm uma convivência harmoniosa e familiar com seu bichinho de estimação, saber disso chega a causar um nó na garganta e um aperto no coração. Difícil pensar que um membro de nossa família, ainda que de quatro patas, tenha um destino assim. E as alternativas a esse destino, digamos, público, têm atraído, felizmente, a cada dia mais adeptos.


Cemitério dos Animais, Betim, MG

A proposta do sepultamento, a exemplo do que é feito com os seres humanos, é uma alternativa capaz de fazer jus aos anos passados ao lado de um animal de estimação e acalentar o luto. Os cemitérios de animais têm soluções de jazigos coletivos ou individuais e planos para se adequar ao bolso, mas com o mesmo respeito aos sentimentos e às lembranças deixadas pelas mascotes. Os túmulos podem ser decorados e visitados.
Uma outra alternativa em voga, também de carona no que acontece no caso de morte humana, são os crematórios. A cremação, inclusive, se apresenta como solução ambiental politicamente correta sem prejuízo aos sentimentos de perda e luto. De acordo com artigo publicado no site Ambiente Brasil (www.ambientebrasil.com.br), os especialistas são unânimes ao fazerem afirmações quanto ao perigo do necrochorume (líquido formado a partir da decomposição dos corpos) que pode atingir os lençóis freáticos e contaminar a água.


Cemitério dos Animais em Salvador, BA

O processo de cremação do corpo do animal dura em torno de uma hora e meia. As cinzas são acondicionadas em urnas de pedra-sabão ou podem ser espargidas em jardins ou em outros locais, de acordo com o desejo do dono do animal. Em ambos os casos, sepultamento ou cremação, também é permitido o velório do corpo como homenagem final ao companheiro de quatro patas e a contratação do serviço inclui o traslado até o local onde será sepultado ou cremado.


Crematório Pampulha Pet Memoria, BH

Endereços/contatos úteis, segundo ordem de fotos postadas:
1) Cemitério de Animais Parque dos Limões, Campinas, SP: www.cemiterioparquedoslimoes.com.br
2) Cemitério de Animais A Reviver, Betim, MG: www.cemiteriodosanimais.com.br
/fones: 31 3596-8208 e 31 9148-3368
3) Cemitério de Animais Canil Olorum, Salvador, BA: www.canilolorum.com.br
4) Crematório Pampulha Pet Memorial, BH: www.caoviver.com.br
Fones: 31 3354-1552 ou plantão 24h 31 8478-8882

6 comentários:

  1. Vocês tem notícias de serviços como estes aqui no Rio de Janeiro? Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Acesse o endereço abaixo sobre serviço de sepultamento da prefeitura do rio de janeiro:
    http://www0.rio.rj.gov.br/ijv/index.shtm

    ResponderExcluir
  3. Tem também o Pet Garden, na Barra da Tijuca

    ResponderExcluir
  4. ENDEREÇOS DE CREMATÓRIO E CEMITÉRIO DE ANIMAIS NO RIO DE JANEIRO:
    Pet`s Garden - Cemitério e Crematório de Animais
    Estrada do Morro Cavado, 1485
    Guaratiba
    22000 Rio de Janeiro
    Tel.: 21-3325-7704
    Fax: 21-2132-7192

    Instituto de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, avenida Bartolomeu de Gusmão, 1.120, em São Cristóvão,RJ.

    ResponderExcluir
  5. É verdade que as zoonoses deixarão de fazer as castrações em Belo Horizonte?
    Há alguma posição governamental a respeito disto?
    Se houver, gostaria do nº da Lei e deixo meu repúdio a essa determinação que deixa de prestar um maravilhoso serviço à comunidade.

    ResponderExcluir
  6. Ilze, desconhecemos esta informação. O trabalho de castração q é feito pelo CCZ BH hoje em dia é fruto de um extenso e difícil trabalho e ação intensa de um grupo de protetores de BH. Trata-se de um programa que foi pensado por um grupo de protetores, que nem foi implantado no seu inteiro teor ainda, mas que a Comissão Interinstitucional de Saúde na sua relação com os animais, formada por protetores, ongs e PBH, está constantemente avaliando e insistindo na sua validade. O programa adote um amigo, uma iniciativa exemplar que une ong e poder publico municipal, é fruto deste programa de castrações vigente. A comissao está de olho! Bichos de Companhia

    ResponderExcluir

O Bichos de Companhia agradece o seu contato. Em breve, enviaremos sua resposta.