Ei, você! Se liga aí no nosso Snapchat e adiciona a gente: bichosdecia

Escolha seu idioma - Select your language - Elija su lengua

Escolha seu idioma - Select your language - Elija su lengua

sábado, 23 de julho de 2016

Dois cãorrespondentes especiais cobrem a caminhada de Taubaté: confiram

Os cãorrespondentes Kate e Pitoco Farias ao
 lado dos pais Danni e Abraão

O Bichos de Companhia recebeu um material muito especial. Veio de Taubaté, interior de São Paulo. na região do Vale do Paraíba, a 130 km da capital do estado. Quem mandou foram nossos cãorrespondentes especiais Kate e Pitoco Farias. 

Os dois participaram da 2ª Caminhada Animal de Taubaté, neste sábado, 23. A iniciativa foi das ongs Vida Taubaté, Apata - Associação Protetora de Animais, Cãopanheiros e Camaleão. A ideia do evento é conscientizar a população sobre maus-tratos, posse consciente, benefícios da castração e também teve o objetivo de arrecadar ração para os animais resgatados e mantidos pelas instituições realizadoras. 

Os moradores e seus cães começaram a se concentrar a partir das 8h, na Praça da Eletro, com a troca de três quilos de ração pelo kit da caminhada, com uma camisa, cartilha e adesivo. Os kits foram entregues aos 200 primeiros participantes da caminhada. 


Kate Farias, nossa querida afilhada, já participou de muitas cãominhadas aqui em BH, promovidas pelo Bichos de Companhia e ongs parceiras. Pitoco estreou e se esbaldou... 
A caminhada arrecadou duas toneladas
de ração para as ongs organizadoras

Os realizadores e apoiadores do evento

Os moradores de Taubaté prestigiaram a caminhada
e levaram seus cães para se socializarem

Os parceiros da caminhada fizeram a diferença
com a entrega de brindes e recepção aos participantes

O cão propaganda da Magnus foi uma
das atrações do evento e nossos
cãorrespondentes cercaram a estrela canina





Kate e Pitoco ao lado do pai Abraão
E começam a caminhar...

Kate posa ao lado mãe enquanto o irmão
Pitoco (abaixo) faz novos amigos


A jaboticatubense Kate e o valadarense Pitoco
conhecem um pouco sobre a vida do ilustre morador
de Taubaté, Mazaropi que projetou a cidade paulistana


domingo, 26 de junho de 2016

A importância de dar água limpa ao seu pet



Nem só os alimentos são fontes de nutrientes na dieta dos pets. A água é de fundamental importância para todos os seres vivos e, segundo profissionais, é o elemento mais importante para um cuidado nutritivo ao animal de estimação.

A médica-veterinária especialista em nutrição, Mallize Gonçalves, afirma que o líquido permite que todas as reações químicas ocorram, tanto no interior, quanto entre as células dos organismos. Segundo ela, sem água a estrutura dos cães não é capaz de funcionar corretamente, resultando em desidratação.

Temperatura corporal - As funções da água no corpo dos animais são inúmeras, porém a profissional destaca as mais importantes: “A água distribui os nutrientes essenciais para manter as células vivas (vitaminas, minerais, glicose); remove os resíduos e toxinas que o organismo não necessita, por meio de urina e fezes; transporta, digere e absorve nutrientes presentes nos alimentos. Além disso, ela também é responsável pela regulação da temperatura corporal e pela lubrificação e proteção contra o impacto das articulações, coxins, medula espinhal”, explana.


Quantidade diária ideal -  Existem alguns fatores que afetam a ingestão de água. Geralmente, com temperaturas mais altas, como conta o médico-veterinário Luis Fernando de Moraes, os animais ingerem mais água comparada a temperaturas frias. “Porém, o ideal é que a quantidade diária exigida seja mantida durante todas as épocas do ano”, orienta a profissional que ainda recomenda a quantidade do líquido para cães: “De 30 a 70 ml/kg peso vivo por dia, isso varia e depende do tamanho, dieta (com alimentos secos necessitam maiores quantidades de água), idade e presença de enfermidades”, completa.

Moraes também pontua que, em algumas fases como lactação, gestação e realização de exercícios físicos, a quantidade diária de água pode aumentar em duas a três vezes acima da exigida habitualmente, lembrando que, basicamente, 60 a 70% do corpo de um cão é composto por água. A diminuição expressiva desta porcentagem pode acarretar problemas na saúde do pet, como desidratação grave, choque e morte.



Desidratação - A desidratação, tanto em cães como em gatos, resulta em sintomas e as causas são bastante similares e devem ser tratados de maneira imediata para garantir a vida e a saúde do animal. O profissional dá algumas dicas de como identificar a desidratação: “Por meio da prega cutânea, hidratação dos olhos, mucosas e focinho. O animal desidratado apresenta um retorno lento quando elevamos a prega da pele, além de apresentar mucosas e focinhos ressecados e sem brilho”, explica.

Atenção aos recipientes de água - Os tutores também devem ter muita atenção, também, em relação à localização dos bebedouros, que devem estar em ambiente longe do sol. O animal tende a recusar a ingestão de água aquecida. De preferência, deve-se oferecer água potável e filtrada aos animais de companhia, cujo perfil dos minerais presentes é de grande valia. “Água de fontes não confiáveis podem conter micro-organismos, como bactérias, vírus e parasitas que podem infectar o cão. Líquido com grandes quantidades de flúor, nitratos e magnésio também podem representar riscos para a saúde dos pets em longo prazo. 



Vale ressaltar que não adianta oferecer a melhor água e não cuidar da higiene dos bebedouros e certificar-se que o animal tenha água limpa e fresca durante todo o dia.”, alerta a profissional que julga bebedouros de barro e inox os mais higiênicos e seguros.








Fonte:
http://www.caesegatos.com.br/tao-importante-quanto-a-alimentacao-agua-traz-inumeros-beneficios-ao-organismo-do-pet/


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Mantenha seu pet bem quentinho neste frio


O inverno está aí! Agora à noite, aqui na redação do Bichos de Companhia, em Belo Horizonte-MG, o termômetro marca 17º.  Nesta época, é importante tomar alguns cuidados extras com a sua saúde – e o mesmo vale para os nossos pets. As quedas de temperatura e umidade podem causar graves problemas aos bichinhos. Para que isto não aconteça, fique atento às dicas para que seu animal de estimação passe confortavelmente a estação mais fria do ano.

Cães
Pepê e Flor de pijaminhas quentinhos


Mantenha seu cãozinho aquecido. Para aqueles de pelo curto, as roupas são essenciais. Mas tome cuidado para não escolher peças muito curtas. Prefira as roupinhas com fechamento por velcro, que são mais confortáveis e fáceis de serem retiradas. Além disso, proteja o local onde o pet dorme de ventos ou correntes de ar.. Não se esqueça de forrar o espaço com um cobertor.

Outro ponto importante é lembrar que a resistência dos cãezinhos a doenças costuma diminuir no inverno. Portanto, evite deixar seu companheiro em situações que possam expô-lo a estes males. A tosa deve ser deixada para épocas mais quentes, uma vez que os pelos funcionam como isolante térmico. Se houver necessidade, faça apenas a tosa higiênica. Além disto, a frequência dos banhos deve ser menor – especialistas falam em diminuir seu número pela metade.

Evite também sair com o cachorro nos horários mais frios, especialmente à noite e no começo da manhã. E nunca leve seu peludo para passear após o banho. Espere pelo menos uma hora (se ele já estiver totalmente seco), para evitar um choque térmico. Esta é uma situação perigosa, que pode desencadear ou agravar doenças já existentes.

Finalmente, é importante aumentar a quantidade de comida. No inverno, o gasto calórico do animal pode aumentar em até 30%, e continuar a dar a mesma porção de alimento pode criar um quadro de desnutrição.

Gatos
Os gatos, em geral, não gostam de roupinhas.
Tente e veja se o seu vai curtir


Por mais peludo que um gato seja, ele vai passar frio no inverno. Sendo assim, é fundamental não permitir que durma ao relento. Também procure aquecer sua caminha. Cobertores ou mesmo uma bolsa térmica são bastante indicados para os bichanos.

Muitos gatos costumam andar pela vizinhança e alguns voltam encharcados. Quando isto acontecer, seque o bicho imediatamente, para que sua imunidade não diminua. Se possível com um secador de cabelo, mas tomando cuidado com temperaturas muito quentes.

É muito comum que as “almofadas” das patinhas dos gatos rachem nos dias mais frios, por falta de hidratação, causando feridas e dor. A solução é usar um hidratante próprio, mas, converse antes com o veterinário para que ele indique a melhor opção. Dica: para evitar que o gato lamba o creme, faça a aplicação antes de dar comida. Provavelmente ele se interessará mais pelo alimento.


Aves



Obviamente, as aves não têm à disposição o arsenal de roupinhas que os cães possuem. Assim, o ideal é procurar aquecer a gaiola do penudo. O mais comum – e mais barato – é manter o local protegido do vento e coberto com uma capa protetora. E não deixe a gaiola no quintal, principalmente durante a noite.

O uso de aquecedores deve ser feito com muita cautela. As aves sofrem com o tempo seco, e os aquecedores domésticos podem piorar a situação, pois retiram a umidade do ar. Uma solução é usar aquecedores com lâmpadas especiais, de cerâmica, que não deixam o ar mais seco.

E não se esqueça dos banhos! Mesmo no inverno, deixe a banheira disponível duas vezes por semana. Ela deve ser removida após o banho, para que o bicho não beba água suja.


Faça você mesmo

Casinha para o cão ou gato dormirem bem quentinhos 

Você vai precisar de duas bacias de plástico

















Roupinha para gatos ou cães de pequeno porte

Você vai precisar de uma meia. Corte as extremidades
como na figura. Faça um corte circular na área do
calcanhar na meia para passagem das patinhas dianteiras
do pet

























Roupinha para cães de porte maior












Escolha uma blusa velha de tamanho maior. Corte a manga.
Faça o círculo, conforme o indicado, medindo
o local aproximado, de acordo com o tamanho do seu
pet, onde ficarão as patinhas dianteiras. 























Fonte:

http://portalmelhoresamigos.com.br/mantenha-seu-pet-confortavel-e-quentinho-no-inverno/