Tem um e-book grátis que vai falar tudinho pra você sobre os nossos cães vira-latinhas. Link neste blog.

Escolha seu idioma - Select your language - Elija su lengua

Escolha seu idioma - Select your language - Elija su lengua

domingo, 20 de junho de 2010

"Por que sou vegetariano?" *


Peter Singer - da internet

Remexendo em meus guardados, descobri este texto de Peter Singer, utilizado, inclusive, em prova de concurso. Então, abro uma série de textos e fotos que mostram o sofrimento animal simplesmente para consumo e usufruto do homem. Vem aí, o próximo post que vai falar das touradas espanholas. Para refletir, comentar e agir.

"Minhas razões para ser vegetariano são muito simples. Os animais têm capacidade de sofrer. Quando são criados para nos fornecer carne, eles sofrem de muitas e desnecessárias maneiras.
Nós não precisamos comer carne. Qualquer que tenha sido a situação no passado, nos promórdios da evolução humana, hoje, as pessoas de classe média dos países desenvolvidos têm uma gama enorme de alimentos nutritivos a sua disposição. Uma dieta vegetariana não impede o acesso a proteínas e outros nutrientes essenciais. Comemos carne porque aprecianos o sabor, não porque ela seja necessária a nossa saúde.
O desejo de saborear a carne dos animais não justifica fazê-los sofrer. Portanto não deveríamos comer animais que sofrem só para isso - para nos fornecer sua carne.
O sofrimento a que me refiro não ocorre apenas nos matadouros. Muitas pessoas ainda não sabem como funcionam as modernas fazendas industriais. Nelas, a mecanização e os métodos de negócios corporativos são aplicados de acordo com o princípio de que os animais são objetos a serem consumidos. Para baratearem o custo, os produtores confinam e amontoam os animais de maneira tal, que os condenam a passar a vida inteira em condições horríveis.



Tudo isso acontece por um equívoco ético fundamental. Os racistas pensavam que um ser humano que não pertencesse a sua raça se situava fora da esfera da ética. Podia, portanto, ser capturado e vendido como escravo. Não acreditamos mais que as fronteiras raciais demarquem os limites para além dos quais os seres humanos se transformem em objetos para nosso uso. Mas ainda achamos que os seres que estão fora das fronteiras de nossa espécie não passam de coisas úteis. Não há base moral para essa crença. A escravidão animal deveria ser enterrada, juntamente com a escravidão humana, no cemitério do passado". (SINGER, Peter. VEJA. 24 nov. 2004. p118)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Bichos de Companhia agradece o seu contato. Em breve, enviaremos sua resposta.